AO (RE) ENCONTRO DAS ALMAS SELVAGENS E LIVRES
Sábado, 28 de Maio de 2005
Promessas.

as minhas unhas.jpg

 

PROMESSAS

 

Promessas não passam apenas de palavras que nos obrigam a acreditar em algo que nem sempre temos a certeza que vai acontecer, por isso, tornam-se, na maior parte das vezes, impossiveis de cumprir. Até porque, o que pretendemos cumprir...não precisamos de prometer. As promessas " boas ", são aquelas que cumprimos em silêncio e para nós. Quando se falha a uma promessa, estamos a falhar connosco próprios.



publicado por marisa.moreno às 05:07
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Sexta-feira, 27 de Maio de 2005
Despida na Despedida...

eu.gif

 

Acordei despida de ti,

Nua comigo.

Quando o primeiro raio de sol me tocou o corpo

Expulsou-te da minha alma.

 

Já posso ser tocada de novo,

Por quem quero sem me prender a ti.

É pouco o sol de hoje,

Mas o suficiente para me despedir de ti.

 

Sei o que pensas...

Quantas vezes já não o fiz...

Quantas já me despedi e sempre voltei.

 

Até aqui...

Mas agora é definitivo,

Vais ver...

Não há-de o meu falso Amor por ti,

Ganhar sobre mim.

 

Falso porque és quem eu sonhei esta noite,

Num pesadelo sem fim.

 

Fui eu que te inventei,

Sou eu que despida de ti te mando embora.

 

Estou despida na despedida,

Sem saber como do frio me proteger,

Mas de ti não preciso mais.

 

Fazes-me mal.

Por isso,

Deixa-me estar aqui despida na despedida,

Despida de ti.

 

Despida comigo.



publicado por marisa.moreno às 12:07
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Hoje perdi-me...

lost.jpg

 

Hoje perdi-me...

Fiquei tonta e sem ar...

Não sabia onde estava...

Não sabia onde queria estar...

 

Hoje perdi-me...

Mas nunca me tinha perdido assim...

 

Não entendo o que se passa...

Que tenho eu aqui dentro de mim?

 

Hoje perdi-me...

Mas não me voltarei a perder...

 

Canto por quem amo...

Mas não amo só a ti...

 

Hoje quase que me perdi,

E a ti não te encontrei,

Mas afinal nunca estiveste...

Porque espero eu então?

 

Hoje perdi-me...

Mas amanhã já não.



publicado por marisa.moreno às 02:36
link do post | comentar | favorito
|

O Amor...

unicornio.jpg

 

O Amor é como um Unicórnio...

Eterno...

Sensivel...

Leal...

E não existe...

 

Neste momento odeio-te Amor...

Por seres tão falso como o Judas...

Apoderas-te com falsas Juras...

Mas trazes em ti tanta dor...

 

Porque a mim só fazes de conta?

Não é já tempo de me deixares ser feliz?

Porque me fazes isto Amor?

 

Qual é o teu prazer em me fazer chorar?

Serás um sádico jogo de algum diabo?

Porque não me deixas então jogar?

 

Estou doente de ti Amor...

Já não consigo respirar...

Só queria que caisses para o lado e morresses

Por não permitires alguém me amar...

 

Estou doente e farta de ti,

Farta de ti Amor.



publicado por marisa.moreno às 02:12
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 26 de Maio de 2005
O Meu Mundo de Patas para o Ar!

patas ao ar.jpg

 

Viraste o meu mundo de patas para o ar.

Quando finalmente te amei deixaste de me amar.

Sem retorno ficamos assim...

Eu sem ti e tu sem mim.

 

( Hoje é o dia...aquele dia...o dia do nunca mais. )



publicado por marisa.moreno às 21:49
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 20 de Maio de 2005
Por mais que tente...

vazio.jpg

 

Por mais que tente estou vazia.

Por mais que tente sinto a culpa.

Por mais que tente não desaparece...

 

Por mais que tente a cidade me parece mais fria.

Porque te deixei sair?

Porque te deixei ir novamente embora?

 

O que faço agora com este Amor todo que quase vomito fora?

Será que algum dia haverá quem aguente,

Esta força toda que me deixa doente?

 

Desculpa, Amor, não ter percebido...

Desculpa, Anjo, a minha aflição...

Desculpa em tua vida ter existido...

E te ter expulsado do meu coração.

 

Que mais posso fazer?

Que mais posso dizer?

A não ser...

Ficar quieta e saber que nunca mais te poderei ter...

Chegou a hora do teu silêncio,

E o teu puxa pelo meu.



publicado por marisa.moreno às 21:52
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 19 de Maio de 2005
Acredito

barco.jpg

 

(...) Sabes, quem não acredita em Deus, acredita nestas coisas, que tem como evidentes. Acredita na eternidade das pedras e não na dos sentimentos; acredita na integridade da água, do vento, das estrelas. Eu acredito na continuidade das coisas que amamos, acredito que para sempre ouviremos o som da água no rio onde tantas vezes mergulhámos a cara, para sempre passaremos pela sombra da árvore onde tantas vezes parámos, para sempre seremos a brisa que entra e passeia pela casa, para sempre deslizaremos através do silêncio das noites quietas em que tantas vezes olhámos o céu e interrogámos o seu sentido. Nisto eu acredito: na veemência destas coisas sem princípio nem fim, na verdade dos sentimentos nunca traídos. Miguel Sousa Tavares, in 'Não Te Deixarei Morrer, David Crockett '



publicado por marisa.moreno às 22:48
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 18 de Maio de 2005
Quero que voltes Marinheiro...

wish.jpg

 

Marinheiro, Marinheiro

Marinheiro de amargura

Por tua causa, Marinheiro

Vou baixar à sepultura...

As ondas batiam

E na areia rolavam

Lá se foi o Marinheiro que eu tanto amava...

O amor de Marinheiro

É amor de meia hora

O navio levanta ferro Marinheiro vai embora...

As ondas batiam.

 

In pp. 12 de " O meu pé de Laranja Lima ", de José Mauro de Vasconcelos



publicado por marisa.moreno às 21:38
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

" CRÓNICA DO GATO SAPATO "

Marisa Duarte.jpg

 

 

GATO SAPATO

 

De facto não sei o quê ou o quem nos tornou assim,

Se a vida se nós.

Como se a unha tivesse putreficado e separado...caído da carne.

Como panela que coze sem têsto, deixando que a água em si ebula ao ponto sem sentido, onde tudo acaba sem morrer...evaporando-se e esfumando-se...onde se transforma mas desaparece sem retorno.

 

Que dizes meu amor?? A vida??

Que poder tem ela em nos modificar se somos nós que lhe damos sentido? E só por nós existe...? Que dizes...?? Se somos nós a própria vida!

 

Fomos nós que nos permitimos ser assim, tentando unir polos iguais... Os positivos de um lado...os negativos do outro.

Como se não soubessemos que é impossível.

Como se não soubessemos que nos obrigando a unir...nos anularíamos.

E...cada um por sua vez...nos rebelariamos...e culpariamos o outro da nossa anulação...que fizeramos por opção.

 

Polos iguais.

Dois seres tão semelhantes que parecem ter sido feitos na mesma forma...

 

Sabes...aquela forma que os Anjos têm para reformar a Alma Quando ela chega ao Céu cansada de viver em Terra. Se calhar enganaram-se...( os Anjos também se cansam...)

 

Se calhar enganaram-se...e no mesmo século...fizeram duas Almas iguais. Cheguei aqui depois mas reconheci-te... Como se me visse ao espelho... Mas um espelho lascado pela vida.

 

Desculpa Amor Meu, Queria dizer...

Pelas pessoas que fazem da vida Gato Sapato...

E que às vezes deixamos entrar...

Que nos baldeiam o armário todo...

E não levam só a roupa.

 

Como se tivessemos o gosto mórbido de ter que refazer e repensar toda a nossa existência sempre que ampuntamos alguém dela...

Tal como se nos ampuntassemos a nós próprios um braço, ou uma perna, às vezes até um coração.

 

Pois...é que pessoas como nós têm muitos corações para serem arrancados.( Tu sabes )

 

Dois seres em tudo iguais só de sexos diferentes...( fisicos )

Terão os Anjos feito de propósito??

Duas almas iguais mas sempre no espaço e no tempo opostos...

Recuso-me a dizer errados...

 

É uma palavra tão feia como aquela que nos recusámos a dizer e nos arrependeríamos de dizer logo à primeira vez...( Aí gemo..." Amo-te " e os teus olhos respondem aos meus...)

 

Eu e Tu não fez um, mas era um...e tu serás sempre " MEU " ( e sabes disso...)

Daí resultou a ambiguidade sem nexo de existirmos um sem o outro...por não sabermos existir um com o outro...( " Concordámos que até existíamos antes..." - disses-te tu...concordei eu... )

 

A ambiguidade sem nexo de existirmos apenas como individuos não acouplados um ao outro...

A vida desde aí é mais feliz... Só deixou de ter sentido... Não que antes tivesse. Agora tem menos. Sabemos os dois que Amor como o nosso jamais existiu ( É nosso! )

E que jamais se repetiria na história de qualquer um de nós. Porque os Anjos não se enganam duas vezes.

 

O Amor Supremo não se repete.

Só aprendemos que se se desenha impossivel neste tempo e neste espaço,

De opostos demasiado perfeitos para os iguais.

Encontramo-nos agora em paz e conscientes que a igualdade não faz a unidade.

 

E agora Meu Amor?? Sou muito feliz sem ti...

Sem ti vivo...

Sem ti morro...

Sem ti não quero mais sentir outra Alma que não a tua...

A minha fechei-a na caixa que deixei em teu coração.

Espero que estejas tão feliz como eu.

Só temos que aprender a amar outras Almas de outras formas.

 

Porque a nossa não se repete...( e tu sabes...).

 

Da tua XUXA.



publicado por marisa.moreno às 01:16
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 16 de Maio de 2005
Renascer...

nascer.jpg

 

RENASCIMENTO

 

De repente havia mais brilho em tudo, como se O mundo tivesse sido pintado de cores especiais,

E em cada esquina havia um tesouro a ser descoberto.

Eu estava contigo, e como mágica tudo era perfeito.

Cheia de harmonia, havia em mim uma leveza sutil.

Um encantamento novo, como um novo despertar!

Cada vez que te olhava nos olhos me aprofundava mais e mais...

Neste mundo fascinante que me davas como um presente!

(Uma dádiva que poucos conhecem...)

Há sempre um aroma morno e doce no ar.

Como se todo o universo expirasse e respirasse esta liberdade.

 

Louca de me deixar levar pelo amor.

Entreguei-me de corpo e alma a este sentimento.

Sem medo do que o amanhã me roubasse estes momentos,

Pois haverá sempre uma história mais...

 

Juntos inventaremos a cada dia a um novo motivo para sermos felizes,

E o teu seu sorriso envolve-me como a chuva serena,

Que vai invadindo a terra dando-lhe frescor depois de um dia ensolarado.

 

Tantas são as razões que me prendem a ti.

E hoje estou só,

Vejo que já não há espaço dentro de ti para o meu amor.

 

Sinto o coração apertado como um gato vadio ferido.

Sem perspectivas de renascer novamente,

Como se a vida já não me pertencesse mais.

 

Gostaria de gritar-te a minha angústia,

Que a tua mão tocasse esta dor que me corrói,

E quem sabe assim trazer algum alívio para minhas feridas.

 

Mas tudo que o vejo é o vazio...

Todos os meus sentidos só entendem a tua ausência.

 

Diz-me onde estás...

Em que tempo nos perdemos...

Devolve-me a magia de fantasiar e viver a vida.

 

Como um sonho,

diz-me como reaprender a sorrir,

Como caminhar sem ti ao meu lado,

Diz-me simplesmente como renascer sem ti.



publicado por marisa.moreno às 12:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

SUPER BLOG AWARDS
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Lobos, Bruxas e Lua Cheia...

Se me morres.

Vinho e comprimidos... (A...

...

Collapsing...

De novo...

Meu.

And the end is near.

Morno...

Big.

arquivos

Maio 2010

Março 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Dezembro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

mais sobre mim
BLOG ANTIGO
DESDE 15 / 05 / 2008
favoritos

Redoma Transparente

subscrever feeds
blogs SAPO