AO (RE) ENCONTRO DAS ALMAS SELVAGENS E LIVRES
Sábado, 22 de Outubro de 2005
Chuva...

Percebo agora estas gotículas que percorrem a minha face.

Como a chuva em noite de Verão.

Quente e doce, que se mistura com lágrimas amargas.

Amargas de amargura desta perda agridoce.

 

Perdem-se elas num qualquer canto recôndito de meu coração.

Onde o sangue já não corre.

Onde a alma já não sente.

 

Quero ficar aqui e sentir.

Sentir o sol desta chuva de Outono.

Que me aquece e reconforta.

Que me faz pensar.

 

Não existe perda sem ganho.

Se alguém perdemos,

Logo outro alguém,

Vindo de nenhum lugar,

Nos beija a palma da mão,

Com a doçura da sua própria amargura.

Como se nos dissesse: " Eu sei... eu também sei... " (Onde e quando morreste tu? Foi num dia de chuva? )

 

 

Dedicado à minha doce Clarinha e ao Sr. Fernando a partir de hoje meu amigo... Às vezes basta um gesto...às vezes só o silêncio... Que ninguém duvide que há Anjos na Terra!! Obrigado a todos, a todos, por existirem na minha vida de uma forma ou outra. " Na hora da despedida todos os amores se tornam maiores do que a própria vida. " João de Melo



publicado por marisa.moreno às 21:41
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Fabio Salles a 5 de Janeiro de 2008 às 18:17
Espero que já tenhas encontrado alguém que sinta como tu... quanto a mim passei agora por uma experiência que me fez perceber que não existe o que procuro... a dor de amor traído é insuportável... e como eu te compreendo... mas como podes verificar não são só as mulheres que sofrem por amor... eu também estou a sofrer...

Aqui vai o texto que enviei aquela que julgava a mulher da minha vida, a minha alma gémea, a minha outra metade... a mulher que julguei amar-me e que me traiu... e acredita que dói demais, acredita que a partir de hoje não mais acreditarei em ninguém...

"quero morrer porque estou farto da solidão que sinto ao teu lado, o teu silêncio são facadas, hoje sou uma sombra daquilo que um dia fui, tratava-te com amor, carinho, atenção mas isso nunca chegou para ti... eu já nem me sinto de tanta dor, de tanta revolta, de tanto sofrimento, de tanta angustia. não foi essa pessoa em que te transformas-te que conheci, não foi essa a pessoa por quem senti o sentimento mais nobre que existe... um dia acreditei no amor, na amizade no companheirismo, na entreajuda... em tudo aquilo que um dia nos uniu... triste ilusão ou desilusão deste meu coração... e se deixas-te de me amar porque sei que deixas-te e há muito, devias ter tido a coragem para me dizer e não fugir... quero morrer porque não suporto mentira, não suporto traição, desprezo, ou indiferença, não nasci com essa capacidade... quero morrer porque esta dor que se entranhou em mim na minha alma está a corroer o meu coração, alma? Acho que já nem alma eu tenho... já foi arrancada de mim... só tu sabes dos teus passos, certos ou errados são teus e não meus, eu só sei que há coisas que nunca mereci... eu tentei construir algo... tentei e juro por Deus que tentei... mas hoje só sinto destruição dentro do meu ser só existe escuridão... por tudo o que sou hoje quero morrer e quero que Deus me dê a morte porque eu já não sou nada nem ninguém, sou simplesmente um poço de dor, amargura, revolta, solidão e tristeza... já não sinto nada de bom em mim... nada... o meu amor não vale nada... o dos outros talvez mas o meu não... o meu nunca valeu nada, sempre foi desprezado... talvez tenhas razão, talvez isto a que chamo amor não valha mesmo nada e talvez o consigas encontrar algures longe de mim... talvez eu tenha sido sempre um engano... um engano... desde que nasci que sou um engano... que não vale nada... que ninguém compreende, que nasceu e que vive aprisionado no seu próprio corpo... que não é carne nem é peixe, porque a alma não importa para ti, a alma não tem sexo, é como os anjos... eu é que me enganei e tanto... só o corpo importava, fui eu que me iludi... só eu e peço-te perdão por existir... pelas coisas de que me culpas, tendo eu culpa ou não em todas elas... pelas mágoas e pelo rancor que teimas em alimentar e manter vivos em ti... por isto tudo quero morrer e vou morrer sim porque sempre que desejei alguma coisa com esta intensidade eu acabei sempre por conseguir... nada... tanto ódio que me tens, tanta raiva que me tens, tanto desprezo que me ofereceste, tanta indiferença, tanto sofrimento que me fizeste sentir no fundo da minha alma, que eu não quero mais viver, eu não sou nada, eu transformei-me num corpo sem alma, sem coração, estou nas trevas bem no fundo das trevas por isso anseio que Deus me leve desta vida para sempre, também não quero voltar a viver nunca mais, para sofrer esta dor prefiro morrer para sempre... e assim ficas livre de mim para toda a eternidade... que Deus me faça a vontade e que a ti de dê a suprema felicidade porque eu nunca te desejei mal do fundo do meu coração ao contrário das palavras que saem da boca porque essas são o resultado da dor e da raiva a sair... desejo que sejas a pessoa mais feliz deste mundo, e quis que o soubesses antes de eu não poder mais falar... os insultos, as palavras cruéis, os nomes que te chamei... não são mais que o exteriorizar daquilo que tenho dentro de mim.. a escuridão das trevas, a raiva, e o ódio de mim mesmo, não é de ti não, é de mim, e se as digo talvez seja o desespero de tentar agarrar aquilo que já há muito perdi, o amor por mim mesmo, tentar convencer-me de que o erro sou eu, aliás desde que nasci que sou um erro... ou fui... não sou mais nada... que tenhas tudo aquilo que buscas e estou a escrever-te esta mensagem com as lágrimas a correr há mais de 2 horas sem parar, e não são falsas não, ao contrário do que sempre te convences-te... não sou uma pessoa fingida, aliás nunca o fui, e os julgamentos que fazes de mim e que sempre fizeste acredita que estão errados, nunca fingi dor que não sentisse, nunca e Deus sabe quantas vezes chorei longe de ti, quantas e quantas... com o coração a sangrar, com vontade de me dar alguma coisa e me levar de vez... não aguento mais... não suporto mais a tua indiferença, a tua vingança, o teu ódio, a tua raiva, todos os sentimentos que tens dentro de ti, que se apoderaram de ti e que te moldaram naquilo que hoje és... sentimentos que te repelem da minha pessoa, e por isso para mim só anseio a morte... que deus me perdoe porque mais ninguém me vai perdoar e nem mesmo eu me vou conseguir perdoar nunca por todos os nomes que te chamei por todos os gritos que gritei... só porque a partir de um momento me recusei a sofrer sozinho porque tudo doía demais... acabou tu que foste e serás sempre o amor da minha vida, e isso não vais poder tirar-me nem tu e nem ninguém, porque esse sentimento vai morrer comigo, vou levá-lo comigo... e tu não vais ter que ouvir-me mais... nem aos meus gritos, ou acessos de raiva... que sejas o ser mais feliz deste mundo e é do fundo do meu coração que o desejo... para todo o sempre... quanto a mim Deus fará a sua justiça... e que seja depressa!"


De Passo a 24 de Outubro de 2005 às 10:23
ha anjos e demonios tb, so temos q os saber reconhecer :) beijos


De tempus a 22 de Outubro de 2005 às 23:59
Olha amiga, só te posso dizer para limpares as lágrimas e olhares em frente, porque algures estará algo que te fará sorrir! Bjs.


Comentar post

SUPER BLOG AWARDS
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Lobos, Bruxas e Lua Cheia...

Se me morres.

Vinho e comprimidos... (A...

...

Collapsing...

De novo...

Meu.

And the end is near.

Morno...

Big.

arquivos

Maio 2010

Março 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Dezembro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

mais sobre mim
BLOG ANTIGO
DESDE 15 / 05 / 2008
favoritos

Redoma Transparente

subscrever feeds
blogs SAPO